Parque do Peruaçu na busca por Selo da Unesco

Audiência em Januária vai reforçar campanha pelo reconhecimento da unidade de conservação como patrimônio mundial.

A possibilidade de reconhecimento pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu como patrimônio da humanidade será debatida pela Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nesta quinta-feira (8/6/17). A audiência atende a requerimento do presidente da comissão, deputado Paulo Guedes (PT).
A audiência pública será em Januária, um dos três municípios do Norte de Minas que abrigam os limites do parque. Os outros são Itacarambi e São João das Missões. O debate será a partir das 14 horas, no auditório da Superintendência Regional de Ensino (SRE), na Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, 130, Centro.
Segundo Paulo Guedes, a expectativa é de que o selo da Unesco para Peruaçu fortaleça o potencial do turismo ecológico do Norte de Minas. Curiosamente, uma das reclamações das lideranças na região é de que o parque é mais conhecido por pesquisadores, inclusive do exterior, mas ainda não é muito visitado por turistas, embora obras recentes tenham incrementado sua infraestrutura, com trilhas, sinalização e centro de visitantes.
“Este reconhecimento vai projetar a região no cenário turístico mundial, promovendo o desenvolvimento dos municípios em inúmeros aspectos”, afirmou Paulo Guedes. O parlamentar é um dos entusiastas campanha, lançada em março último, em prol do reconhecimento da Unesco, com o envolvimento de entidades nacionais e internacionais.
O slogan da campanha é “Peruaçu Patrimônio da Humanidade – Eu apoio!”. A ideia é realizar várias ações de divulgação com o objetivo de dar visibilidade à candidatura. O logotipo da campanha traz um triângulo estilizado representando o Estado de Minas Gerais, desenhos de pinturas rupestres e a frase “Sou do Mundo. Estou em Minas Gerais”, em alusão à música “Para Lennon e McCartney”, de Milton Nascimento.

INFRAESTRUTURA TURÍSTICA – Um dos grandes desafios da região é desenvolver a infraestrutura turística das cidades, tema que deve ser discutido na audiência. Essa é uma das metas, por exemplo, do projeto Cidadania Ribeirinha, que contempla a capacitação de populações carentes de comunidades banhadas pelo Rio São Francisco. O projeto é uma iniciativa da ALMG, que também tem o apoio do deputado Paulo Guedes.

TESOURO – Valioso patrimônio geológico, arqueológico e da biodiversidade, o parque foi criado pela União ainda em 1999, mas somente abriu aos turistas no ano passado, sob supervisão do ICMBio. Mas, nos últimos anos, recebeu expedições de pesquisadores do mundo todo, interessados sobretudo nas 144 cavernas já catalogadas em seus mais de 56 mil hectares.
A maior atração é a Gruta do Janelão, que leva esse nome em virtude do grande buraco no teto do maior de seus salões, a Dolina dos Macacos. No seu interior há ainda a Perna da Bailarina, considerada por especialistas a maior estalactite do mundo, com 28 metros.
Próximo à entrada da Gruta do Janelão está outra grande atração do parque, a Lapa do Boquete, um dos mais de 80 sítios arqueológicos e pinturas rupestres que compõem o acervo dessa unidade de conservação. O nome faz referência a uma das pinturas na rocha, que simbolizam um ato sexual entre os primeiros habitantes das Américas, evidências humanas que remontam a 11 mil anos.

Sharing is caring!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *