Imagens do circuito interno de TV mostram o clima de agressividade e intolerância que vitimou o Deputado Estadual Paulo Guedes quando deixava a Assembleia Legislativa de Minas Gerais na última quarta-feira (16). Em Plenário, no dia seguinte, Paulo Guedes discursou a verdade: “Nós não podemos calar diante da intolerância, da histeria, que querem fazer deste Parlamento. Portanto, viva a democracia, não à intolerância, não aos abusos, não à violência”.

{module [209]}

E continuou: “Agradecer aqui vários Policiais Militares que me ligaram, que discordaram da forma como me agrediram ontem; eu quero agradecer aqui à gloriosa Polícia Militar de Minas Gerais que inclusive me ajudou ontem a me salvar do linchamento público que queriam fazer com esse parlamentar; quero aqui agradecer ao Coronel Bianchini e toda a equipe da Polícia Militar; agradecer a Polícia Militar do Norte de Minas, que todos me conhecem e sabem da minha postura e respeito que tenho com os policiais; e não é um fato isolado feito por alguns policiais da reserva, que estavam totalmente com a cabeça quente, iludidos e com certeza orientados para de forma agressiva agir daquela forma; esses policiais que me agrediram não representam a Polícia Militar, não representam o grande sentimento da Polícia Militar de Minas Gerais. Por isso quero agradecer a Polícia Militar, confio na Polícia Militar, agradeço a Polícia Legislativa, a todo o povo do Norte de Minas; milhares de amigos que postaram nas suas redes sociais mensagens de conforto a este parlamentar, aos amigos do Norte, do Jequitinhonha, do Mucuri, do Noroeste, de todas as partes do Estado. Agradecer aqui ao ex-Presidente Lula que me ligou hoje pela manhã também trazendo a sua solidariedade”.

“Todos sabem, todos acompanham pelos noticiários que nós estamos vivendo uma grave crise. E nenhum governador, seja Fernando Pimentel, seja governador de qualquer estado, vai querer parcelar pagamento dos servidores se tiver dinheiro em caixa. Eu tenho convicção disso e conhecendo como eu conheço o governador Fernando Pimentel e sua equipe jamais isso iria acontecer em Minas Gerais se tivéssemos dinheiro suficiente para honrar com os compromissos todo dia cinco. Aí eu pergunto, porque a intolerância? Porque essa histeria aqui no Plenário de alguns parlamentares em querer culpar o Governo por uma situação herdada; as dívidas de Minas não foram construídas nesse Governo foi ao longo de vários governos, e o Governador Fernando Pimentel herdou uma dívida de mais de R$ 100 Bilhões de Reais. Portanto o Governador precisa concluir seu mandato, governar, ter paz pra governar. Ninguém governa num ambiente de intolerância como estamos vivendo aqui. Nós não podemos calar diante da intolerância, da histeria, que querem fazer deste Parlamento. Portanto, viva a democracia, não a intolerância, não aos abusos, não à violência”.