Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica (PROEB), que integra o Sistema Mineiro de Avaliação da Educação Pública, avaliou em novembro do ano passado alunos do 5º ao 9º anos do ensino fundamental em Manga. Os números são preocupantes.

Em novembro de 2012 o Governo de Minas, através da Secretaria de Estado da Educação, avaliou alunos de 15 escolas públicas municipais de Manga, duas na sede do município e 13 nas comunidades rurais. O resultado desse trabalho, apurado pelo Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica (PROEB), indica não apenas que as metas estabelecidas pela Secretaria Municipal de Educação não foram cumpridas, mas, principalmente, que será preciso muito esforço para tirar a educação de Manga do quadro negro, sobretudo em relação aos alunos do 5º ao 9º anos do ensino fundamental.

Segundo a secretária municipal de Educação, Edneida Mendes Batista, “os números concernentes ao município de Manga, divulgados ontem pelo Portal do Governo de Minas, através do Sistema Mineiro de Avaliação da Educação, são, na verdade, um importante instrumento para a gestão do sistema público de educação no Estado, pois levantam dados para o diagnóstico sistemático da rede pública de ensino e, mais ainda, fornecem informações para subsidiar a definição de políticas educacionais e o planejamento de suas ações”.

A secretária de Educação de Manga argumentou que, ao invés de atingirem as metas pactuadas para melhorar a qualidade da educação nessas séries, “infelizmente ocorreu uma queda em relação aos anos anteriores, números que reclamam um rigoroso planejamento do poder público e das escolas municipais, quer seja através da capacitação de professores, cumprimento das metas do Plano de Intervenção Pedagógica (PIP), firmado no início da administração atual pelo prefeito Anastácio Guedes com o Governo de Minas e, igualmente, através do fortalecimento das ações desenvolvidas no município com a Superintendência Regional de Ensino de Januária”.

Para se ter uma ideia dos números apurados na avaliação do PROEB em novembro de 2012 na Escola Municipal Castelo Branco, em relação à Língua Portuguesa nada menos do que 83,3% dos alunos tiveram o pior desempenho na escala de proficiência definida pela Secretaria de Estado da Educação; 16,7% apresentaram desempenho satisfatório e nenhum aluno avaliado figurou na faixa que aponta para evolução de fato da educação. Em 2011, os alunos com baixíssimo desempenho representavam 63,2%; e, em 2010, apenas 25%, ou seja, ano a ano caiu o rendimento em se tratando da Língua Portuguesa.

Em relação à Matemática, não foi diferente no educandário: 66,7% tiveram o pior desempenho; 33% foram considerados satisfatórios e nenhum figurou no patamar recomendado pelo Governo de Minas. Aliás, no quadro comparativo divulgado pela Secretaria de Estado da Educação, na disciplina matemática a mesma avaliação demonstrou que em Minas 52% dos alunos do 5º ao 9º períodos tiveram a performance recomendada; 34,4% da faixa “satisfatória” e apenas 15,5% apresentaram baixo rendimento.

No ano de 2012 em Manga, algumas escolas que apresentaram evolução nas disciplinas de Português e Matemática, em comparação com os anos de 2010 e 2011, embora o resultado tenha sido obtido não em função da qualidade da educação, mas porque foi reduzidíssimo o percentual efetivo de alunos avaliados, muito aquém do número de alunos previsto pela Secretaria de Estado da Educação. Daí, segundo a secretária Edneida Mendes Batista, a importância das ações que o município desenvolve na atualidade com a Superintendência Regional de Ensino de Januária, “de modo a envolver toda a comunidade escolar, pais, alunos, professores, diretores, com capacitações e palestras motivacionais, sobretudo porque poucos estabelecimentos de ensino de Manga revelaram tendência de elevação da proficiência dos alunos do ensino fundamental em Língua Portuguesa e Matemática”.

Foto e texto: Manoel Freitas